Matemática no seu Financiamento Habitacional

O sonho da casa própria é um desejo comum à maioria das pessoas. E para realizá-lo se recorre frequentemente ao financiamento habitacional. E nesse momento, vem uma enxurrada de termos, condições e formas de contratar.

Montagem: Erisson Amorim

Este artigo não, nem de longe, tem o objetivo te tornar um expert em financiamentos e sim de chamar a atenção para alguns aspectos que julgo importantes.

Primeiro Ponto:
Tabela SAC ou PRICE?

Pelo sistema de amortização constante (SAC), as prestações são mais altas no início e menores no final porque há amortização mensal do valor financiado. O valor da parcela vai reduzindo, da primeira até a última, porque há uma diminuição progressiva dos juros.

Na tabela Price (sistema francês de amortização), as parcelas começam mais baixas, mas são “fixas” durante todo o período de financiamento.

Montagem: Erisson Amorim

O sistema SAC é preferível à tabela Price porque representa uma economia de cerca de 10%, em média. A vantagem da tabela Price é que a parcela inicial é, normalmente, bem menor. No entanto, pelo SAC, apesar de as parcelas serem maiores no começo, há uma amortização maior da dívida, que leva a uma economia significativa no final do financiamento.

Porém, precisamos escolher entre o sistema mais vantajoso e o que caberá no orçamento. É aí que a tabela Price leva vantagem, pois pode ser o divisor de águas entre comprar ou não o imóvel tão desejado.

Segundo Ponto:
Amortizar o Prazo ou o Valor da Parcela?

Vamos primeiro explicar o que é amortizar: Amortizar é pagar parcialmente uma dívida. Nos financiamentos imobiliários, paga-se juros sobre o saldo devedor (valor que ainda falta para quitar um financiamento). Por isso, quanto mais amortização, menos o comprador desembolsa com juros.

Importante saber que em cada parcela do financiamento temos: Juros Contratuais, Amortização, Seguros, Tarifa e Taxas.

Quando entram recursos extras, você pode adiantar o pagamento ao banco, reduzindo, assim, o saldo devedor do seu imóvel, daí você pagará menos juros e acelera a quitação do seu financiamento.

Montagem: Erisson Amorim

Na hora de realizar esta operação, temos que tomar a seguinte decisão: reduzir o prazo do financiamento ou o valor da parcela.

Então, você se pergunta: qual a forma mais vantajosa?

Não estou aqui para inventar a roda, pois vários pensadores já fizeram os cálculos e provaram que reduzindo o prazo você economizaria mais. Apenas quero te levar a refletir mais um pouco sobre a outra possibilidade: abater o valor da parcela.

Porém, notei que os mesmos pensadores não analisaram essa questão sob outros aspectos.

Suponhamos que você siga a dica e amortize seu financiamento habitacional, optando por diminuir a quantidade de parcelas. Você poderá estar fazendo um ótimo negócio. Principalmente, levando-se em conta que você tem um emprego estável e a prestação está cabendo no seu bolso. Isso mesmo, pois já imaginou ficar desempregado? Neste caso, você preferiria pagar uma parcela menor ou ter um prazo reduzido? Uma parcela menor fica menos difícil de se arranjar o dinheiro, concordam?

Porém, vamos pensar observando por outro prisma – digamos que você queira quitar este financiamento, amortizando sempre que sobrar um dinheirinho.

No infográfico abaixo podemos acompanhar uma simulação real de amortização.

Montagem: Erisson Amorim

Como pode ser visto no infográfico, na amortização realizada reduzindo o valor da parcela, pode-se amortizar 720 reais todos os anos (12 x 60 reais) o que, em 5 anos amortizaria, fora o percentual das parcelas pagas neste período, mais 3.600 reais.

Então pessoal, acharam válida essa forma de enxergar a amortização do financiamento habitacional?

Deixem nos comentários as opiniões de vocês.

Abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados

Enjoy this blog? Please spread the word :)